Sons da Terra 2009 na sala de visitas da vila

A VIII edição dos “Sons da Terra”, vai ser mais um encontro da música e dos sabores da tradição.
Já ninguém fica indiferente a esta nova abordagem da matriz cultural da freguesia com novas sonoridades de instrumentos musicais e de percussão que marcam a diferença.
Este ano, o certame era para contar com o grupo galego" Associação Meiramar Axóuxeres, mas dificuldades de última hora e as eleições europeias estiveram na origem do cancelamento da vinda dos galegos .
Sons da terra de todo o lado, ora tocadores de bombos, caixas, gaita-de-foles e pífaros, ora tocadoras de adufes, tudo numa simbiose musical que vai fazer emergir as vibrações que entoam sons próprios de quem conversa sobretudo com sons e voz.
Este é o cenário projectivo para a 8 ª edição dos “Sons da Terra”, organizada pela Casa do Povo do Paul, que vai ter lugar no domingo 7 de Junho, pelas cinco da tarde, apostando-se em sonoridades diferentes neste acontecimento, que já é uma referencia incontornável da oferta e da agenda cultural da freguesia.
Com efeito, a aposta é manter em alta este espectáculo, que seguramente vai encher o Largo da Praça, de populares que habitualmente envolvem-se com o espectáculo desta feita a cargo do Grupo de Bombos da Casa do Povo do Paul, Fonte da Pipa, Adufeiras da Casa do Povo do Paul, Grupo de Bombos " Maravilhas" e Girafoles.
Mas, antes do espectáculo acontecer os grupos vão desfilar pelas ruas da freguesia até ao local onde as actuações vão realizar-se no Largo da Praça.
A iniciativa conta com o apoio da Junta de Freguesia do Paul e objectivamente pretende potenciar a diferença entre os espectáculos com cariz tradicional fazendo emergir alguns instrumentos que não chegam tão bem ao povo, mas que têm a ver com a cultura do nosso país, tornando-o sem dúvida num grande espectáculo de sons autóctones.
A não perder.
(" Fonte Inforpaulense")

Uma viagem transgressora às raízes da cultura

O Grupo de Bombos e Adufes da Casa do Povo do Paul, no penúltimo fim-de-semana de Maio 2009, na Chamusca, esteve no encerramento da Feira da Ascensão, no musical “ Cantos e Sons da Lusitânia”.
Esta foi, quiçá, uma das grandes experiências vivenciadas pelo grupo nos últimos anos.

De facto, este musical foi uma viagem sonora e visual a tradições
perdidas no tempo.
Foi também uma viagem transgressora com emoções saídas de vozes, com particular destaque para Teresa Tapadas, quando cantou a Sra. do Almortão acompanhada pelos adufes do grupo paulense.
Foi ainda uma festa para os sentidos, onde os sabores da tradição
se perpetuaram, envolvendo diversos grupos de cultura popular, sendo produzida com grandes cuidados cénicos pela Companhia Teatro Ribatejo.
Tencionamos dar algum desenvolvimento a esta noticia, porque este espectáculo marcante ficou na retina dos que estiveram na Chamusca, não dando por mal entregue o tempo, nem ter chegado ao Paul já na madrugada de segunda-feira e terem de trabalhar ou estudar neste dia logo pela manhã.

Música tradicional une beirões e galegos

O intercâmbio cultural entre a Associação Meiramar Axóuxeres – Galiza e a Casa do Povo do Paul, foi o motivo da aproximação de galegos e beirões. A música tradicional fez a ponte entre estas associações. A portuguesa aproveitou para visitar Santiago de Compostela e já em Moaña, o Rancho Folclórico da Casa do Povo do Paul, surpreendeu os galegos com o espectáculo “ Cantos e Sons da Terra”.
Tudo começou quando um membro da direcção da Associação Folclórico Cultural e Juvenil – Meiramar Axóuxeres, sedeada em Moaña – Galiza, em visita ao nosso país viu actuar o grupo paulense, daí até à formalização do convite para se iniciar um intercambio cultural foi um passinho, até porque, ambas as partes identificam-se com a defesa da autenticidade, usos e costumes das respectivas regiões e mais do que isso, comungam ideais e um tipo de folclore diferenciado mas sustentado na pureza do mesmo.
Com efeito, a primeira parte do intercambio começou a cumprir-se com o Rancho Folclórico da Casa do Povo do Paul, a rumar até à Galiza – Espanha, para num dois em um, levar as suas musicas e danças por terras espanholas e visitar Santiago de Compostela, uma cidade mundialmente famosa pela sua catedral de fachada barroca onde acorrem os peregrinos que perfazem os Caminhos de Santiago de maneira a depararem-se com o manto de Santiago, um dos apóstolos de Cristo, cujo corpo se diz que foi trasladado para aquele lugar.
Finda a visita à capital da Galiza o grupo dirigiu-se Moaña, uma vila marinheira situada no centro – oeste da Província de Pontevedra. Moaña, ocupa a parte meridional da Península de Morrazo, um conjunto marcado pelas rias de Pontevedra e de Vigo, que constituem uma referência histórica e natural. A sua ligação com o mar a par com o meio rural muito rico serve de inspiração para a realização das feiras sustentáveis da Galiza, onde se inclui a Feira Tradicional de Artenailla, organizada pela Associação Meiramar Axóuxeres, anfitriã do grupo português.
Relação cultural deve continuar
Era no âmbito desta feira de “arte na ilha”, que estava previsto a actuação do grupo do Paul, se o tempo o tivesse permitido, na verdade, as condições climatéricas adversas obrigaram mesmo a organização a cancelar a 5ª edição da Feira Tradicional de Artenailla.
Mas se foi cancelada a feira, a vontade dos portugueses em mostrarem o espectáculo “ Cantos e Sons da Terra”, não foi alterada por este contratempo. E com a garra que lhe é peculiar entrou no palco da feira já abrigado numa tenda gigante e realizou a sua “performance”.
O público galego muito receptivo não ficou indiferente à simbiose entre várias sonoridades e danças e que no ano passado em Montignac, conquistaram o publico francês e vibrou com a entrega do grupo visitante, chegando mesmo a interagir agir com ele. Por outro lado, era bem visível a satisfação do Rancho Folclórico da Casa do Povo do Paul, pela forma como soube representar um pouco do folclore nacional e pela receptividade deste novo projecto etnográfico “ Cantos e Sons da Terra”
Para o presidente da Associação Meiramar Axóuxeres, este intercambio deve ter continuidade e fazer historia nas duas associações intervenientes, “ este é um inicio de um relação cultural que se quer muita longa entre portugueses e galegos, só assim podemos defender as nossas identidades e preservar o que de melhor tem os nossos povos relativamente às suas tradições”. Esclarece Eugénio Pinheiro que acrescentaria logo de seguida,” foi pena que o mau tempo nos obrigasse a cancelar as actividades de projecto cultural configurado na 5ª edição da Feira Tradicional de Artenailla, ainda assim quero agradecer a disponibilidade do grupo português em actuar nestas condições. Aliás, em pouco tempo conseguimos juntar neste espaço muita gente que adorou os Bombos e Adufes da Casa do Povo do Paul. O folclore que apresentou o grupo português marca a diferença e por isso nós estamos muito satisfeitos com sua vinda, até porque, cumprimos aquilo que prometemos, ou seja, trazer todos os anos grupos inovadores e que têm outra perspectiva sobre as raízes da música tradicional. Recebemos os parabéns de muita gente por termos feito esta aposta no grupo do Paul.”. Asseverou este dirigente galego.
Balanço positivo no “dois em um”
A chefe da comitiva portuguesa não escondia também a sua satisfação, “ os nosso amigos galegos foram uns excelentes anfitriões. Este tipo de iniciativas é um elo de ligação muito forte entre os povos e culturas, algo distintas mas que, comungam dos mesmos objectivos quanto à preservação da sua identidade cultural. Agora estamos ansiosos que a Associação Meiramar Axóuxeres, visite o Paul para retribuirmos a sua hospitalidade”. Comentava Leonor Narciso, que de seguida fazia um balanço positivo deste intercâmbio,” esta viagem à Galiza foi francamente positiva, por que fizemos dois em um. Proporcionámos aos elementos do nosso rancho folclórico momentos de lazer com a visita a Santiago de Compostela, isto por um lado, enquanto por outro, tivemos a oportunidade de mostrar ao publico galego o potencial, as danças e a sonoridade ora, harmoniosa dos adufes e pedrinhas, ora, pujante dos bombos, caixas, gaita – de – foles e pífaros, tudo conjugado no espectáculo “ Cantos e Sons da Terra”, que a fazer fé nos comentários que ouvimos e na reacção do público foi do agrado geral”. Rematou a presidente da direcção da Casa do Povo do Paul.
(" Fonte Inforpaulense")

Portugal representado em França pelo Rancho do Paul

De 12 a 22 Julho de 2009, uma vez mais Portugal estará representado no Festival CIOFF de Folclore Internacional – La Ronde des Copains du Monde em Ambert – França, pelo Rancho Folclórico da Casa do Povo do Paul.
Este certame mundial dura mais de uma semana, tempo mais que suficiente para o grupo beirão mostrar a sua garra e dinâmica, bem como a sua pujante sonoridade.
È também mais uma oportunidade para a comitiva portuguesa conviver com povos de todo o mundo, conhecer novas culturas e amizades.
Estarão presentes os seguintes países: Ucrânia, Servia, Polónia, Irlanda, Rússia, Guadalupe, Suiça, Bolívia, Colômbia, França, Córsia, Kénia, Sri Lanka e claro está Portugal .
Na missiva do presidente do Festival, Patrick Pascal pode ler-se, “há um mundo cheio de coisas a dizer durante 20 anos de festival! Podia-se fazer muito simplesmente um historial mas altera-se ligeiramente… de uma apresentação clássica de um grande festival como “a ronda dos amigos do Mundo”, porque não propor algumas anedotas! … 20 anos de festival e os momentos de divisão com crianças romenas; encontros insólitos com verdadeiros aborígenes australianos; descobertas inconcebíveis com yakouts; momentos de festa com mexicanos endiabrados; amizades muito fortes com cubanos; momentos inolvidáveis com palestinos… E ainda muitas palavras e imagens, olhares, amizades… Uma semana de festival, é um enriquecimento sob qualquer ponto de vista, aprende-se a conhecer outros culturas, outros territórios. Descobre-se linguagens muito diferentes e modos de vida totalmente opostos, uns e outros insistem à viagem… à evasão…”.
Também numa tradução livre do texto que apresenta a delegação portuguesa no site oficial do certame pode ler-se, "este grupo vem da vila de Paúl, situada na região centro Beira Baixa, perto da cidade de Covilhã, em Portugal. O seu reportório é procedente de uma tradição de lendas e antigos costumes que é transmitido de geração em geração. As canções estão entre as mais bonitas de Portugal, com temas do trabalho e do amor. As danças, " Vira" , " Pica a pé" , são graciosos, originais e raras, frequentemente acompanhados de tambores e adufes. Esta formação tem participado em numerosas manifestações no seu país, nomeadamente na exposição universal realizada em Lisboa em 1998, e recebeu numerosos apreços. Viajou através de toda a Europa para mostrar os seus costumes. Vieram a França, aos festivais de Confolens e de Montignac e os seus tambores ressoam ainda no coração dos seus habitantes. Deleitamo-nos ao receber este grupo, que encantará as nossas noites com a sua alegria legendária e a sua convivialidade. Garantimos que passarão um excelente momento na sua companhia". Afirmam os responsáveis do Festival Ambert.
Pela sua parte o Rancho Folclórico da Casa do Povo do Paul, está preparado para esta viagem, este convite à evasão, mas sempre com a responsabilidade bem presente, estando já preparar cuidadosamente esta digressão por terras gaulesas enquanto anseia demonstrar (como tem sido seu apanágio) que estará altura de mais esta representação nacional e merecer a confiança dos responsáveis deste festival que numa tradução livre tem por mote " A Ronda dos Amigos do Mundo".
Para mais informações sobre este importante festival consulte o seu site oficial.
Se quiser aceder directamente ao link de Portugal deste site.

Rancho Folclórico rumo à Galiza

No fim- de- semana de 16 e 17 de Maio 2009, o Rancho Folclórico da Casa do Povo do Paul, vai rumar até à Galiza- Espanha , para num dois em um, levar as suas musicas e danças por terras espanholas e visitar Santiago de Compostela.
A partida está marcada para as cinco manhã de sábado dia 16, com destino ao local de peregrinação de Santiago de Compostela, à noite dirige-se para Moaña, uma vila marinheira situada no centro-oeste da Província de Pontevedra, de que depende administrativamente. Com vista para o mar, tem cerca de 20 Km de praias suaves da Ria de Vigo. Uma extensão de algo mais de 35 km2 alberga cerca de 20000 habitantes, sendo que, Moaña, ocupa a parte meridional da Peninsula de Morrazo, um conjunto marcado pelas rias de Pontevedra e de Vigo, que constituem uma referência histórica e natural.
É precisamente nesta localidade espanhola que a convite da Associação Folclórico Cultural e Juvenil - Meiramar Axóuxeres, o grupo paulense vai no domingo dia 17, realizar duas actuações na 5ª edição da Feira Tradicional de Artenailla, sendo uma delas o espectáculo que o ano passado deslumbrou os franceses de Montignac.
Se quiser conhecer um pouco de Moaña e da associação anfitrião que convidou o Rancho Folclórico da Casa do Povo do Paul,consulte:

Bombos animam Festa da Pecuária em Figueira de Castelo Rodrigo

A segunda edição da Festa da Pecuária de Figueira de Castelo Rodrigo, organizada pela Associação de Transumância e Natureza, teve lugar no passado dia 9 de Maio e contou com a participação do Grupo de Bombos da Casa do Povo do Paul.

Depois de um desfile ( muito longo e durissímo) os grupos participantes animaram o recinto principal onde foi servido um lanche para todos os visitantes.

O grupo paulense, já com novos elementos no seu seio, voltou a empolgar o publico com a sua batida forte e deixou os responsáveis da organização satisfeitos tendo logo renovado o convite para o ano voltar à 3ª edição desta Festa da Pecuária.

No regresso ao Paul o Grupo de Bombos passou pela Escola Profissional da Lageosa, onde decorria o Encontro Distrital do Pessoal não Docente das escolas e deu mais um show que levou ao rubro os convivas.

Profissionais de saúde rendidos ao encanto das Adufeiras

Desta vez também os nossos vizinhos espanhóis não pouparam elogios ao espectáculo das Adufeiras da Casa do Povo do Paul.
Com efeito, no passado dia 7 de Maio, no grande auditório da Faculdade de Ciências da Saúde da UBI, as Adufeiras conseguiram que os participantes do XI Congresso - Sociedade Ibérica de Citometria, logo a seguir à cerimonia abertura do congresso e antes do Porto de Honra, se envolvessem com a musica tradicional portuguesa e em particular com os temas do novo projecto musical deste grupo paulense, espelhado no CD/ DVD - Cantos da Terra, resultando nuns momentos entretimento e descontracção para os congressistas, que provavelmente muitos não estavam á espera.
Na verdade, aos poucos portugueses e espanhóis foram-se rendendo ao desempenho das adufeiras e senão fosse o adiantado da hora ( para o Porto de Honra) o espectáculo ter-se-ia prolongado por muito mais tempo, sendo que, alguns dos mais entusiastas eram os "nuestros hermanos".

Rancho Folclórico no 25 de Abril em Setúbal

Na ultima deslocação a Setúbal do Rancho Folclórico da Casa do Povo do Paul, aquando das comemorações do 25 de Abril, um senhor de câmara de vídeo na mão desde do primeiro minuto não largou a comitiva paulense. Na altura prometeu (e cumpriu agora) por as imagens disponíveis na Net. Aqui fica o trabalho de Simões da Silva a quem agradecemos a gentileza

video

Bombos e Adufes não param

Ao criarmos este Blog a nossa intenção é darmos conta de todas actividades que a Casa do Povo do Paul vai desenvolvendo no seu quotidiano.
Na verdade, o Grupo de Bombos e o Grupo de Adufeiras, ambos integrados nesta intuição paulense, estão com a agenda cheia e não têm parado, dai que, quase semanalmente vamos actualizando as iniciativas onde marcam presença
No Dia Mundial do Trabalhador, o Grupo de Bombos da Casa do Povo do Paul a convite da Delegação do INATEL – Covilhã, esteve nas comemorações do 1º De Maio realizadas nesta cidade
O som das Gaitas-de-Foles, Caixas e Bombos, fez-se ouvir desde do Jardim até ao Pelourinho, onde o grupo paulense realizou uma pequena actuação que aos poucos mobilizou a adesão popular à sua “performance”.
Já as Adufeiras da Casa do Povo do Paul, rumaram até á Soalheira – Fundão, para animarem a Feira do Queijo que de 1 a 3 de Maio decorreu nesta freguesia.
Como é já habito a boa disposição deste punhado de mulheres que manejam instrumentos tão peculiares como o adufe, pedrinhas e peneiras, veio ao de cima na ronda que fizeram pelos expositores contemplados não só com o som de algumas musicas mas também com os “gracejos” das Adufeiras, criando desde logo uma ambiente festivo e bem-humorado que viria a repetir-se em palco, com particular destaque para Leonor Narciso, em dia inspirado, fez alarde da sua capacidade de comunicar com os outros.
O concerto que as Adufeiras promoveram, apesar da noite fria conseguiu cativar o público presente que ouviu com agrado os temas do novo CD/DVD “ Cantos da Terra.
Refira-se ainda que a interacção com publico foi conseguida de tal forma que, um grupo de mulheres da Soalheira subiu ao palco e interpretou um tema tradicional desta localidade.
Como nota de rodapé, dá-se conta que as Adufeiras vão já no dia 7 de Maio actuar na UBI – Covilhã, enquanto o Grupo de Bombos vai animar uma feira no dia 9 de Maio em Figueira de Castelo Rodrigo.